Jonathas de Andrade

Cartazes para o museu do homem do nordeste

21.06.2013–17.08.2013

Cartazes para o museu do homem do nordeste é a primeira vez que Jonathas de Andrade expõe o seu trabalho individualmente não apenas em Portugal, mas também na Europa. Partindo do "Museu do Homem do Nordeste", um museu etnográfico criado no Recife, cidade-natal do artista, nos anos setenta pelo escritor e sociólogo Gilberto Freyre, a exposição irá apresentar uma série de cartazes hipotéticos do museu.

Abordando homens da classe operária diretamente na rua ou através da publicação de anúncios em jornais locais,requisitando trabalhadores para serem fotografados para os cartazes do museu, Jonathas de Andrade estabeleceu uma relação ambivalente tanto com os seus modelos como com a identidade que eles supostamente representavam, através do olhar antropófago e erotizante da lente da objetiva fotográfica. Os cartazes, que retratam homens em diferentes atividades quotidianas, tentam explorar, questionar e reequacionar os mecanismos subjacentes à construção de uma identidade regional, a do homem nordestino, bem como o seu significado e relevância atuais.

Cartazes para o museu do homem do nordeste incluirá também uma nova publicação, concebida pelo artista, e referente ao projeto da exposição, existindo no entanto para além dela, como objeto autónomo, no qual o processo de trabalho e a pesquisa realizada pelo artista serão aprofundados. É publicada em conjunto pela Kunsthalle Lissabon, Tijuana e Mousse magazine.

 

Jonathas de Andrade (Recife, 1982) vive e trabalha no Recife. É, apesar da sua idade, um dos artistas contemporâneos brasileiros com maior visibilidade internacional. Uma seleção das suas exposições individuais inclui Nostalgia, sentimento de classe, Galeria Vermelho, São Paulo (2013); 4000 Disparos, Musée d'art Contemporain de Montréal (2013); Ressaca Tropical, Galeria Vermelho, São Paulo (2010) e Instituto Cultural Banco Real, Recife, (2009); e Amor e Felicidade no Casamento, Itaú Cultural, São Paulo (2008); Fundação Joaquim Nabuco, Recife, (2007) e Instituto Furnas Cultural, Rio de Janeiro (2007). Uma seleção das exposições coletivas em que participou inclui The Right to the City, Stedelijk Museum Bureau Amsterdam (2013); The Ungovernables, New Museum Triennial, Nova Iorque (2012); Mythologies, Cité International des Arts, Paris (2012); 12ª Bienal de Istambul (2011); 32o Panorama da Arte Brasileira, MAM, São Paulo (2011); Sharjah Biennal 10, Sharjah, Emirados Árabes Unidos (2011); 29a Bienal de São Paulo (2010); 7a Bienal de Artes Visuais do Mercosul, Porto Alegre, (2009); entre outras. Durante 2011 foi artista residente na Gasworks, em Londres e na Townhouse Gallery, no Cairo. Foi também, recentemente, selecionado para o prémio Future Generation Art Prize 2012, tendo sido um dos vencedores do prémio especial do juri.

A Kunsthalle Lissabon é um projeto apoiado pela Secretaria de Estado da Cultura/Direção Geral das Artes (DGArtes) e pela Teixeira de Freitas, Rodrigues e Associados. A exposição de Jonathas de Andrade conta também com o generoso apoio da Coleção Moraes-Barbosa e da Galeria Vermelho, que representa o artista.